quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Tony Curtis, astro de Hollywood nos anos 1950, faleceu hoje aos 85 anos

Ator que morreu: Tony Curtis

O ator americano Tony Curtis morreu em sua casa em Henderson, no estado de Nevada, segundo um porta-voz da família. Ele morreu na cama, por volta da meia-noite, de ataque cardíaco.

Tony Curtis, de 85 anos, foi um dos mais populares atores de Holywood nos anos 1950.
Ele estrelou filmes como "Quanto mais quente melhor" ("Some like it hot", de 1959), em que contracenou com Marilyn Monroe. Dirigido por Billy Wilder, o filme é considerado uma das melhores comédias de Hollywood.

Bonito e talentoso, Curtis foi um dos grandes astros de Hollywood nos anos 1950 e também um conhecido playboy naquela época. Ele se tornou famoso em grandes sucessos de bilheteria, como "A Embriaguez do Sucesso".

Tony Curtis desempenhou um papel memorável no clássico "Spartacus", em 1960, e foi indicado para o Oscar em 1958, por sua atuação em "Acorrentados". Atuou em mais de 140 filmes, mas parte de sua carreira foi prejudicada por problemas com cocaína e álcool.

Trajetória de Tony Curtis
Seu verdadeiro nome era Bernard Schwartz. Ele nasceu em Nova York, em 3 de junho de 1925, filho de imigrantes húngaros pobres.

Ele deixou a escola cedo, para entrar na Marinha na Segunda Guerra Mundial. Começou a atuar depois de dar baixa.

O ator era um namorador incorrigível, que namorou Marilyn Monroe e a Natalie Wood. Ele foi casado seis vezes -a primeira delas com a atriz Janet Leigh, que mais tarde ele admitiu que tinha objetivo publicitário.

Depois de se divorciar, casou com Christine Kaufman, que conheceu ao filmar "Taras Bulba".

Sua última mulher, Jill Vanderberg, era 45 anos mais nova que ele. Curtis era pai da atriz Jamie Lee Curtis, de quem viveu separado durante boa parte da vida. Ele admitiu que foi uma fracasso como pai.

Depois de parar de atuar, ele começou a se dedicar à pintura. Em 1989, vendeu obras no valor de mais de US$ 1 milhão em uma exposição em Los Angeles, na Califórnia. Curtis morava em Las Vegas, Nevada. Em 1989, ele lançou um vídeo em que dava dicas de exercícios físicos para pessoas com mais de 50 anos.

Ele também cuidava, com a ajuda de sua mulher Jill, de um santuário para cavalos vítimas de abandono ou abuso, na divisa dos estados da Califórnia e de Nevada.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Milionário morre ao cair de penhasco com patinete fabricado por sua empresa

Quem morreu hoje? Dono da Segway, Jimi Heselden

Morreu hoje o milionário britânico dono da empresa Segway foi encontrado morto no fundo de um penhasco com uma das duas rodas do patinete motorizado fabricado por sua companhia ao lado de seu corpo, segundo informações divulgadas pela polícia nesta segunda-feira.

Jimi Heselden, de 62 anos, que comprou a empresa norte-americana Segway e era presidente do Hesco Bastion, foi encontrado morto em um rio perto de Leeds, no norte da Inglaterra, no domingo.

A morte --descrita pela mídia como um "acidente bizarro" com o equipamento elétrico criado pela empresa, não está sendo tratada como suspeito.

Um patinete fabricado pela Segway foi encontrado perto do corpo do milionário. "É com grande tristeza que temos de informar que Jimi Heselden morreu em um trágico acidente perto de sua residência, em West Yorkshire", disse a companhia, em um comunicado.

Inventado por Dean Kamen, o patinete motorizado Segway ficou famoso quando o ex-presidente norte-americano George W. Bush pegou um deles para dar uma volta, mas acabou pulando fora em seguida, após não ter conseguido manter o controle.

Quem morreu hoje? Dono da Segway, Jimi Heselden

Heselden, um ex-mineiro que largou a escola aos 15 anos de idade, tornou-se um próspero homem de negócios, doando milhões de libras para a caridade. Neste mês, ele doou 10 milhões de libras (cerca de R$ 27 milhões) para um projeto comunitário de auxílio a regiões pobres.

De acordo com relatos da imprensa, Heselden era um dos homens mais ricos do Reino Unido, com uma fortuna de cerca de 166 milhões de libras (R$ 448 milhões).

Morreu hoje atriz de "Chiquititas" aos 36 anos

Morreu hoje atriz de
Romina Yankelevich (Romina Yan), conhecida por sua participação na novela "Chiquititas", morreu na capital argentina (Buenos Aires), aos 36 anos de idade nesta terça-feira, 28 de setembro.

A atriz argentina, era também dançarina e cantora. Após parada cardíaca, Romina Yan chegou morta ao hospital.

Casada e mãe de três filhos, a atriz era filha de Cris Morena, famosa produtora de TV - criadora da série "Chiquititas", e de Gustavo Yankelevich, diretor e também produtor de televisão.

A primeira aparição de Romina Yan na televisão argentina ocorreu em 1991, como dançarina no programa "Jugate conmigo". Dois anos depois, fez sua estreia como atriz na TV.

No final de 94, sua mãe criou "Chiquititas", novela exibida em vários países da América Latina.

Em 2002, Romina foi convocada pelo Disney Channel para apresentar o show infantil Playhouse Disney na Argentina.

Em 2007, Romina Yan atuou na última comédia romântica de Cris Morena, "Bella & Bestia", e em 2009 foi protagonista do seriado "Casi angeles".

Morreu hoje atriz de

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Morre Hoje - filho do fundador da TV Record, Paulo Machado de Carvalho Filho

Ele era filho de Paulo Machado de Carvalho, que dá nome ao estádio do Pacaembu e foi criador da Rede de Emissoras Unidas de Rádio e Televisão, embrião do que hoje é a Rede Record.

Ele era filho de Paulo Machado de Carvalho, que dá nome ao estádio do Pacaembu e foi criador da Rede de Emissoras Unidas de Rádio e Televisão, embrião do que hoje é a Rede Record.

Segundo o site da Associação dos Pioneiros, Profissionais e Inventivadores da Televisão Brasileira, ele começou a trabalhar com o pai aos 16 anos.

Paulo Machado de Carvalho Filho, que morreu nesta terça-feira em São Paulo
Carvalho Filho trabalhou na Rádio Panamericana, que depois virou Jovem Pan, e foi diretor da Rádio e TV Record entre 1952 e os anos 90, quando as ações das emissoras foram vendidas para o grupo do bispo Edir Macedo.

Nesse período, foi responsável pela contratação de artistas, implantação de programas e planejamento da grade.

Ele estava à frente da emissora quando foram ao ar programas como "Família Trapo", "Jovem Guarda" e "O Fino da Bossa" e os Festivais Musicais da Record.

O empresário, que também foi presidente da Abert (Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão) entre 1980 e 1982, foi responsável pela vinda ao Brasil de nomes como Louis Armstrong, Nat King Cole e Sammy Davis Jr.

O velório ocorre no Cemitério do Morumbi, na zona oeste São Paulo. O enterro será amanhã às 10h no mesmo local.

Segundo o site da Associação dos Pioneiros, Profissionais e Inventivadores da Televisão Brasileira, ele começou a trabalhar com o pai aos 16 anos.

Paulo Machado de Carvalho Filho, que morreu nesta terça-feira em São Paulo
Carvalho Filho trabalhou na Rádio Panamericana, que depois virou Jovem Pan, e foi diretor da Rádio e TV Record entre 1952 e os anos 90, quando as ações das emissoras foram vendidas para o grupo do bispo Edir Macedo.

Nesse período, foi responsável pela contratação de artistas, implantação de programas e planejamento da grade.

Ele estava à frente da emissora quando foram ao ar programas como "Família Trapo", "Jovem Guarda" e "O Fino da Bossa" e os Festivais Musicais da Record.

O empresário, que também foi presidente da Abert (Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão) entre 1980 e 1982, foi responsável pela vinda ao Brasil de nomes como Louis Armstrong, Nat King Cole e Sammy Davis Jr.