segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Morre, aos 75 anos, o jornalista e escritor argentino Tomás Eloy Martínez


O jornalista e escritor argentino Tomás Eloy Martínez morreu neste domingo aos 75 anos após anos de luta contra um câncer.

Martínez nasceu em 1934, na cidade de San Miguel de Tucumán, colaborava como colunista nos jornais "El País", "La Nácion" e "New York Times". Em 2009, ele recebeu o prêmio Ortega y Gasset de jornalismo.

Martínez foi o principal autor de romances políticos da Argentina. Perón e Evita ganharam projeção dramática e tratamento ficcional, tendo a verdade histórica como ingrediente essencial dos livros "Romance de Perón" e "Santa Evita".

Exilado durante todo o período militar argentino (1976-1983) em decorrência da perseguição de um grupo de extrema direita, ele viveu na Europa e na Venezuela.

O último livro de Martinéz lançado no Brasil foi o romance "Purgatório", que retrata a personagem que busca o amante desaparecido por 30 anos e o reencontra sem que tenha envelhecido.

Em entrevista a Folha em julho de 2009, o escritor falou sobre a proximidade entre o tema do livro e a sua época no exílio. "O exílio e o purgatório têm muito em comum. Em ambos a essência é a espera, uma espera que parece infinita, ao mesmo tempo uma espera cheia de esperança".

Nenhum comentário:

Postar um comentário