quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

27 anos sem Garrincha

Em 20 de janeiro de 1983, o povo brasileiro perdia um pouco da sua alegria. Morria Garrincha, a Alegria do Povo. Com suas pernas tortas e seus dribles desconcertantes, Manoel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, encantava a todos com sua camisa 7 do Botafogo e da Seleção Brasileira.

Apelidava todos que driblava de João, por causa de Jones, um inglês que na teoria seria páreo para Garrincha, e que o Anjo das Pernas Tortas humilhou, derrubando qualquer teoria. Dono de lances geniais e de histórias inusitadas, somente um “João” foi capaz de parar Garrincha: o álcool.

Antes mesmo de completar seus 50 anos, Garrincha deixava a Terra para jogar no time do céu. Certamente alguém lá teve de ir para o banco para que Garrincha, considerado por muitos o segundo melhor jogador, atrás apenas de Pelé, ocupasse a ponta direita e fazer mais “joões”.




Via Vitrine Esportiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário